5Ecos, nova associada da ESALQTec desenvolve tecnologia para reciclagem de resíduos orgânicos


Nova associada da ESALQTec Incubadora Tecnológica, a 5Ecos é uma empresa que desenvolve tecnologia (produtos e serviços) voltados para boas práticas ambientais.

A 5Ecos trabalha na comercialização de uma recicladora de lixo orgânico, com mercado voltado a grandes geradores de lixo orgânico, como shoppings centers, cozinha industrial, condomínio residencial, hotéis, empresas com restaurantes, restaurantes, etc .

“Acreditamos na redução da logística, na redução da emissão dos gases de efeito estufa e na redução do envio aos aterros sanitários”, diz Mariana Pereira, química e diretora de operações da 5Ecos.

Resíduos Orgânicos no Brasil

De acordo com Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (ABRELPE), o Brasil gera 56,5 milhões de toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) por ano, e aproximadamente 50% deste volume é orgânico, e a gestão de resíduos sólidos tem “trazido prejuízos ambientais e econômicos para o Brasil. A evolução da gestão de resíduos, principalmente a destinação final, não tem acompanhado o aumento da geração (de resíduos) e as quantidades de resíduos sem coleta, sem destinação adequada, e sem posterior aproveitamento são cada vez maiores”.

A geração de resíduos sólidos urbanos tem aumentado em termos absolutos, atingindo 210 toneladas por dia no país, com uma parcela alarmante de 50% deste volume caracterizado como matéria orgânica. Nos EUA são 12%, na França 23% e Índia com 68%.

Somente em São Paulo, uma área total de 2,3 milhões m2 é utilizada para dispor 42 milhões de toneladas em 14 aterros encerrados, e mais 2 em operação (entre 1974 e 2007). Os resíduos orgânicos são responsáveis pela geração de 14% de GEE emitido no município.

Quando o lixo orgânico é depositado na recicladora, os parâmetros do ambiente são controlados de tal forma que a compostagem aconteça no seu melhor rendimento, ou seja, na decomposição do lixo orgânico de forma acelerada. O processo atinge então máxima eficiência, sendo capaz de converter o lixo orgânico em um composto de volume muito reduzido, rico em nutrientes e livre de patógenos, aplicáveis ao solo.

“Em relação ao processo de compostagem realizado hoje em grandes áreas, temos os diferenciais: o tempo de duração do ciclo de 24 horas em média, a redução do volume em 80% em média, a utilização do produto gerado que é um composto rico em nutrientes e uma forma prática e rápida de realizar a compostagem in situ e dar a destinação dos resíduos orgânicos e outros inúmeros benefícios”, explica Mariana.

O projeto idealizado e patenteado por Mariana e Mario Pereira, diretor industrial da 5Ecos, desenvolve modelos que suportam 100, 300 e 500 quilos por dia. A empresa pretende a partir de agora desenvolver modelos de 1000 e 2000 quilos.

A ESALQTec

Mariana vê na associação junto à ESALQTec uma oportunidade para o crescimento. Segundo ela, a sinergia entre a Incubadora e empresas trará benefícios em pesquisas em novos negócios.

“O amparo técnico da ESALQTec será muito importante para ampliar o estudo de aplicação do composto e o desenvolvimentos de novos produtos”, finaliza.


Add a Comment